Manejo


1 MANEJO - INTOXICAÇÃO AGUDA:

Avaliar droga usada, dose, tempo desde ingestão e possibilidade de hipóxia.

Manter acesso endovenoso.

Controlar vias aéreas e sinais vitais.

Avaliar condições cardiopulmonares.

Monitorar até diminuição ou cessação dos sinais da intoxicação.

Não usar estimulantes.

Coma: Tratar como na overdose (v. abaixo)

 

Após cessada a fase de intoxicação, seguir com as mesmas orientações relacionadas a diagnóstico de USO ABUSIVO E SUSPEITA DE DEPENDENCIA, isto é, Considerar Avaliação Psiquiatrica e/ou Equipe da Dor.

2.OVERDOSE DE OPIOIDES:

Overdoses de opióides geralmente ocorrem em pessoas com baixa tolerância ou relativamente inexperientes no uso de opióides, em dependentes que misturam o uso de opióides com outras drogas que deprimem o SNC (tais como benzodiazepínicos, etanol ou barbitúricos) e em pessoas que variam na dosagem.

 

 

2.1.SINAIS E SINTOMAS DA OVERDOSE:

Pupilas puntiformes ou midríase devido a anóxia, Depressão respiratória, Lábios e corpo azulados, Edema pulmonar, Arreflexia, Rigidez muscular, Coma, Hipotermia, Hipotensão, Bradicardia, Choque, Aumento da pressão intracraniana, Arritmia cardíaca, Convulsões, Morte (depressão respiratória, edema pulmonar e cardíaco).

 

2.2MANEJO DA OVERDOSE:

Estabilização do paciente,

Controlar vias aéreas e sinais vitais,

Manter acesso endovenoso

Prevenir aspiração - Entubação/respirador,

Tratar hipotensão e arritmia Já na unidade de internação hospitalar

Avaliação da temperatura corporal. Se estiver febril, investigue a existência de infecções, inclusive pneumonia de aspiração, endocardite, celulite, meningite, HIV e hepatite;

Convulsões induzidas por meperidina são revertidas pelo uso de naloxona.

Edema pulmonar (não utilizar diuréticos) - Pressão positiva de oxigênio. 

--Lembre-se que o edema pulmonar está relacionado ao vazamento nos capilares pulmonares e não à sobrecarga de fluido. As drogas diuréticas são, portanto, contra-indicadas;

 

COMA e Depressão Respiratória

O Esquema e as doses preconizadas de Naloxone, que são indicadas pelas Diretrizes Brasileiras 2012, são a seguinte:

.Administrar 0,8 mg de naloxona IV, esperando que o paciente acorde.

.Não havendo resposta em 15 minutos, 1,6 mg de naloxona IV pode ser dada.

.Se mesmo assim não houver resposta, serão dadas 3,2 mg de naloxona IV, aguardando-se mais 15 minutos.

.Se não houver resposta, como, por exemplo, midríase, agitação, melhora no nível de consciência e do padrão respiratório, é imperativo revisar imediatamente o diagnóstico de intoxicação por opióides;


ReferĂȘncias

http://www.scielo.br/pdf/rbp/v26n4/a11v26n4.pdf
http://www.projetodiretrizes.org.br/diretrizes11/abuso_e_dependencia_de_opioides.pdf