História e exame clínico sugerem dissecção de aorta

O protocolo de manejo desta condição, não se encontra disponível, temporariamente. 

 

 

São características da anamnese e do exame clínico que podem estar presentes na dissecção de aorta:

 

  • Início súbito de dor torácica de forte intensidade (considerar dissecção aórtica no diagnóstico diferencial de qualquer paciente com dor torácica na emergência);
  • Embora a dor tenda a ser de forte intensidade, há casos onde a dor inicia de maneira menos intensa (em 10% dos casos não há dor, em pacientes com sintomas neurológicos associados à dissecção e em pacientes com síndrome de Marfan esta manifestação é mais comum);
  • Irradiação da dor torácica para o dorso;
  • Paicentes com dor torácica e suspeita de síndrome coronariana aguda, mas sem alterações eletrocardiográficas compatíveis.
  • Manifestação neurológica em 20% dos casos  (as manifestações mais comuns são síncope e quadro confusional);
  • Quadro de insuficiência cardíaca descompensada pode ser manifestação da apresentação (dispnéia, insuficiência cardíaca, B3, elevação da pressão venosa jugular, crepitantes bibasais);
  • Hemotórax;
  • Disfagia, pela compressão esofágica;
  • Dor no flanco, sem artéria renal for envolvida;
  • Dor abdominal se envolver a aorta abdominal;
  • Febre;
  • Ansiedade e sensação de morte iminente;
  • Hipertensão arterial;
  • Hipotensão com ou sem choque;
  • Diferença de pressão arterial sistólica > 20 mmHg (presente em 20% dos casos);
  • Sinais de insuficiência aórtica (sopro diastólico, pulso em martelo d'água, pressão de pulso ampla);
  • Síndrome da veia cava superior;
  • Infarto do miocárdio em topografia inferior (se coronária direita é acometida);
  • Rouquidão;
  • Parestesia de extremidades;
  • Síndrome de Horner (ptose, miose, anidrose).

 

 

A gravura abaixo apresenta alargamento do mediastino superior em paciente com dissecção aórtica.
 

 


Referências

http://www.medicinanet.com.br/m/conteudos/revisoes/1784/alargamento_de_mediastino.htm